História da Paróquia

POSTADO EM 11 de Junho de 2016

A história da Catedral Maria Mãe da Igreja tem início com a Constituição Apostólica «Paranaviensis»1, de 20 de janeiro de 1968 (também denominada de Bula Nil gratius), que criou a diocese de Paranavaí, desmembrada da diocese de Maringá. No referido documento, o Papa Paulo VI expressamente determina:


- Sedes episcopalis in urbe vulgo «Paranavai» erit, magisterii episcopalis autem cathedra in curiali templo ibidem exstante, Deo in honorem S. Sebastiani Mart. dicato, quod ad cathedralis dignitatem attollimus, donec aliud B. M. V. Ecclesiae Matri dicandum extruatur.


- [A sede episcopal será na cidade de Paranavaí e a cátedra do magistério episcopal estará no templo curial que aí existe, dedicado a Deus em honra de São Sebastião Mártir, que elevamos à dignidade de Catedral, até que se construa outro a ser dedicado á Bem-aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja]


A execução do documento pontifício coube ao Núncio Apostólico no Brasil, Dom Sebastião Baggio, que na data de 29 de junho de 1968 estabeleceu, por decreto, as condições necessárias para a instalação da nova diocese, dentre as quais a seguinte determinação:


- 3. O Bispo de Paranavaí estabelecerá a sua sede e domicílio na cidade do mesmo nome; usará temporariamente como Sé Catedral - até que seja construído outro templo em honra da Bem-aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja - o templo de São Sebastião Mártir, o qual é elevado à dignidade e grau de Catedral, com todos os direitos, honras e demais privilégios próprios das igrejas catedrais.


O primeiro bispo da diocese de Paranavaí, Dom Benjamin de Sousa Gomes (27/11/1911 - 17/11/1995), nomeado pelo papa Paulo VI pela Bula Sicut Apostoli, de 11 de março de 1968, foi sagrado pelo Núncio Apostólico no Brasil, Dom Sebastião Baggio, na Catedral de Sorocaba, no dia 09 de junho de 1968, e tomou posse na mesma data de instalação da diocese de Paranavaí, em celebração realizada na Catedral de São Sebastião no dia 7 de julho do mesmo ano.

Instalada a diocese, Dom Benjamin foi aos poucos conhecendo a "dura realidade desta Igreja de Deus", conforme escreveu num de seus relatórios. Diante disso, decidiu que não seria conveniente despender recursos na construção de uma Catedral, permanecendo assim a Igreja Matriz de São Sebastião, dos frades carmelitas, como Catedral Diocesana.

Com a renúncia de Dom Benjamin, ocorrida em 23 de outubro de 1985, assumiu a diocese Dom Rubens Augusto de Souza Espínola (08/06/1928), nomeado pelo Papa João Paulo II, cuja posse se deu em celebração realizada no dia 8 de dezembro de 1985, festa da Imaculada Conceição.

Nos anos que se seguiram, Dom Rubens, sentindo a necessidade de a diocese ter sua própria catedral, ante a provisoriedade na utilização da Igreja Matriz de São Sebastião, por razões pastorais, e ante a advertência encaminhada pela Nunciatura Apostólica no Brasil quanto à observação da condição prevista na bula de criação da diocese, determinou a separação da Sé Catedral da diocese de Paranavaí da Paróquia de São Sebastião e a transferiu, provisoriamente, para a Paróquia Nossa Senhora das Dores, local escolhido para a construção de novo templo dedicado à Bem-aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja, assumindo pessoalmente a função de pároco a fim de conduzir os trabalhos para a edificação da nova sede episcopal.

Assim, no dia 7 de julho de 1989, data em que a diocese comemorava o vigésimo primeiro aniversário de sua instalação, realizou-se o lançamento da pedra fundamental da nova Catedral e deu-se início às obras do templo, concluídas dois anos após com quase dois mil metros quadrados de construção, sendo 1.340 m² somente a nave. A inauguração aconteceu no dia 15 de agosto de 1991, festa da Assunção de Nossa Senhora. Com a benção da imagem da padroeira, solenemente entronizada pelo bispo diocesano.

No ano seguinte, no primeiro aniversário da nova catedral, houve a inauguração da torre, com 36 metros de altura a sustentar uma cruz de seis metros. E no ano de 1993, no segundo aniversário, comemorando-se o jubileu de prata da diocese, foi a Igreja Catedral solenemente consagrada por Dom Rubens, e dedicada à Bem-aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja, oficializando-se o dia 15 de agosto como o Dia da Padroeira da Diocese de Paranavaí. Na oportunidade, foram incrustadas as relíquias ex-sepulchris de São Justino e Santa Vitoriana no altar-mor da catedral.

Sobre a imagem de Maria Mãe da Igreja, em entrevista concedida ao Jornal Diocesano, em junho de 2008, Dom Rubens demonstrou muita alegria e devoção ao comentar a respeito do título da padroeira da diocese de Paranavaí, invocada pela primeira vez pelo Papa Paulo VI no encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II, no dia 8 de dezembro de 1965, na Carta Apostólica “In Spiritu Sancto”. Lembra o bispo emérito que na Bula de criação da diocese houve a recomendação do Papa para a construção de uma igreja em louvor à padroeira, cuja imagem «foi confeccionada com traços da arte bizantina, com características de uma imagem antiga, numa expressão que lembre Maria como a Mãe de todos os tempos e de toda a Igreja, seja do Ocidente ou do Oriente», mas também «marcada pelo estilo colonial, que representa a arte sacra no Brasil, para lembrar que Ela é a Mãe da nação brasileira».

Passados duas décadas da conclusão das obras da Catedral Maria Mãe da Igreja, com pequenas e necessárias obras de manutenção, uma reforma mais ampla começou a ser planejada a partir de 2013 pelo Bispo Dom Geremias Steinmetz, Pároco Padre Inácio Schiroff e o Conselho Administrativo Econômico Paroquial, visando as celebrações do jubileu de ouro da Diocese de Paranavaí, a ser comemorado em 2018.

Em sua primeira etapa, foi construída uma Capela Eucarística, para onde foi deslocado o Sacrário do Santíssimo Sacramento. A nova capela, dedicada ao Beato Paulo VI, foi inaugurada no dia 15 de agosto de 2015, festa da Assunção de Nossa Senhoria e dia da padroeira da diocese de Paranavaí, Maria Mãe da Igreja.

Com capacidade aproximada de 180 pessoas, a forma quadrada da nova capela e do presbitério favorece a participação dos fiéis.

Para os móveis litúrgicos (mesa da Eucaristia, mesa da Palavra, credência, sacrário, colunas, cadeira), confeccionados em peroba rosa, madeira típica da nossa região, optou-se pela reutilização de madeira de demolição.

O sacrário encontra-se posicionado do lado direito do altar, suportado por uma coluna; e do lado esquerdo outra coluna dá suporte à imagem do beato Paulo VI, patrono da capela.

O presbitério está ornado por três painéis, sobressalentes da parede do fundo para dar profundidade e movimento, revestidos com pedras arenito naturais, cuja cor torna o ambiente mais acolhedor.

No painel central fez-se uma abertura no formato de cruz, em que se fixou a cruz feita com madeira de peroba rosa, dando assim ideia de continuidade e intensificando a centralidade de Cristo na vida da Igreja e na nossa própria vida.

Ao lado direito e esquerdo do presbitério foram abertas duas grandes janelas, com vitrais que falam da natureza, dom divino que precisamos respeitar, preservar e  proteger. O vitral instalado do lado direito representa o dia como fonte de vida, de amor, de energia, e traz o sol, símbolo da luz e da ressurreição, ornado pela vegetação e pelos rios que circundam a diocese de Paranavaí. No lado esquerdo instalou-se o vitral da noite, com a lua e as estrelas, além da água, que representa a pureza e a purificação, prevalecendo a cor azul que convida à meditação e à reflexão.

A praça que circunda a capela foi redesenhada, e as reformas executadas a deixaram mais limpa, ressaltando a beleza do templo, e também funcional, com estacionamento interno para as pessoas idosas e com necessidades especiais.

As próximas etapas da grande reforma da Catedral Maria Mãe da Igreja terão início em 2016, e abrangem interior e exterior da nave principal e sacristia, além da torre e fachada. Também está prevista a construção de novo prédio anexo, na parte mais baixa do terreno, a ser utilizada como centro litúrgico-pastoral e administrativo da catedral.

Com as bênçãos de Deus, a proteção de Nossa Senhora e o incansável trabalho da comunidade, o cinquentenário de instalação da diocese de Paranavaí será comemorado com júbilo, com a Catedral Maria Mãe da Igreja inteiramente reformada e pronta para a grande celebração do Jubileu de Ouro de nossa Igreja diocesana.

Deus seja louvado!


http://w2.vatican.va/content/paul-vi/la/apost_constitutions/documents/hf_p-vi_apc_19680120_paranaviensis.html

© Copyright 2019. Desenvolvido por Cúria Online do Brasil